quarta-feira, 25 de maio de 2016

FIG MUTILADO: crise econômica e falta de diálogo entre governos municipal e estadual podem levar Festival de Inverno de Garanhuns a ter dois dias a menos

FIG 2015: imagem feita com drone

O Festival de Inverno de Garanhuns 2016, se nada for feito, e sobretudo se não houver um grande entendimento entre Governos Estadual e Municipal, deve ter sua duração reduzida em dois dias.  A informação vem sendo ventilada na imprensa local e estadual, sendo inclusive pauta de uma matéria publicada nesta quarta-feira, 25 de maio, na página eletrônica do Diário de Pernambuco. O motivo é a necessidade de diminuir o orçamento da festa por conta da crise. Segundo o Diário, os organizadores, que nesse caso são o Governo do Estado e a Prefeitura de Garanhuns, pensam em diminuir a programação para oito dias, em vez dos dez já habituais. A crise, é fato, é um ponto determinante, mas como estes dois entes federativos são atualmente comandados por grupos politicamente antagônicos, que vez ou outra vivem se digladiando, o diálogo e sobretudo o espírito público necessários para salvar o FIG da mutilação fica bastante prejudicado.

Izaías Régis
Ainda segundo a reportagem, adaptações para enxugar o investimento têm sido aplicadas nos últimos anos da festa no Agreste pernambucano. Nas duas edições mais recentes, apenas o palco principal, armado na Praça Dominguinhos, e o de cultura popular receberam apresentações diariamente. As programações dos polos Pop, Forró e Instrumental foram concentradas nos dois fins de semana do FIG.


Em 2016, a convocatória para artistas que desejam se apresentar no Festival de Inverno de Garanhuns é restrita para pernambucanos ou moradores do estado - os artistas nacionais estarão entre os convidados apenas. Nesta quarta-feira, encerra o prazo de habilitação para os artistas que não entregaram documento comprobatório da cidade na qual nasceram. O edital exigia apresentação da "cópia do RG do artista, para nordestino nato ou documento comprobatório de residência em Pernambuco, para artista natural de outro estado ou estrangeiro".

A Prefeitura de Garanhuns, nos últimos dois anos, custeou dois dias de apresentações no palco principal, como forma de não mutilar a grade de programação. Em entrevistas às rádios locais, o prefeito Izaías Régis tem dito que o estado deve reduzir o investimento do FIG 2016 em cerca de 4,5 milhões de reais. Lembrando que ano passado o aporte do Governo Estadual para o evento foi de 8 milhões de reais. A redução representa, portanto, um contingenciamento de mais de 50%, ficando o custeio do estado na casa de 3,5 milhões de reais. Régis ainda revelou em entrevista recente na Rádio Marano que, diante desse quadro desfavorável, pretende captar recursos junto a empresas privadas e ao BNDES, através da Lei Rouanet, para evitar que o FIG tenha sua grade diminuída em dois dias.



COMISSÃO DE GARANHUENSES É CRIADA E SE MOVIMENTA PARA EVITAR CORTES NO FIG 2016

Diante das notícias de cortes no evento, uma comissão de cidadãos garanhuenses, liderada por partidos da Frente Popular de Garanhuns, foi criada com o intuito pressionar o Governo do Estado e do Município para que sejam preservados os 10 dias de festa do FIG, mantendo incólume o atual formato, consagrado ao longo dos últimos 25 anos.
Comissão Especial do FIG
Ricardo Marques faz parte da comissão

O Grupo é formado por representantes de diversos partidos políticos e conta também com vários segmentos da sociedade. Encabeçada pelos empresários Mario Faustino e Edval Veras, a comissão se reuniu semana passada no Garanhuns Palace e deve levar nos próximos dias o pleito ao Secretário de Turismo do Estado, Felipe Carreras, apresentando, inclusive, propostas de reformulação de modo a não mutilar ainda mais o maior evento multicultural da América Latina. "A preservação dos 10 dias intactos do Festival de Inverno de Garanhuns é de fundamental importância para que a economia da cidade não sofra ainda mais, com os abalos ocasionados pelo Governo Federal. Esta perda de dois dias simboliza um grande retrocesso para a cultura em nossa cidade, deixando de gerar renda para os artesãos e artistas de todas as modalidades. Acredito que este seria o momento de uma maior inclusão de artistas da cidade na grade de eventos, de forma que haveria um menor gasto com logística de transportes e valorizaria a prata da casa. Vamos levar ideias para o Governo do Estado no sentido de enxugar a grade, de modo a manter os 10 dias, mesmo que pra isso fosse preciso sacrificar alguns dias em outros polos que não seja o da Praça Mestre Dominguinhos," afirmou Ricardo Marques de Noronha, integrante da comissão que luta para preservar o FIG


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
RSS Feedrss

 
Powered by Blogger