segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Grupo armado assalta casa de praia com 30 pessoas em Tamandaré, PE


Quatro homens não identificados portando revólveres e facões assaltaram uma casa com trinta pessoas no domingo (3), em Tamandaré, Litoral Sul do estado. De acordo com uma das vítimas, o estudante Lucas Campelo, de 20 anos, os suspeitos aumentaram o som da residência durante a ação para não chamar a atenção da vizinhança. Entre os pertences levados estão celulares, aparelhos eletrônicos e bebidas. Um carro também foi roubado e encontrado no dia seguinte destruído.

Por conta do fim do expediente dos batalhões nesta segunda, a assessoria de imprensa da Polícia Militar disse que não teria como confirmar o assalto nem conseguir informações de como é feito o patrulhamento da área. A assessoria de Comunicação da Polícia Civil foi contactada pelo G1 mas ainda não se pronunciou sobre o caso. O G1 também ligou para os telefones da delegacia do município, mas não foi atendido.

A ação não foi rápida, o estudante calcula que demorou uns 30 minutos e disse que os suspeitos estavam calmos. “Eles nos trancaram nos quartos e começaram a nos roubar, as meninas choravam muito e teve uma que até desmaiou. Eles não eram agressivos, mas estavam assustados. Teve um, tenho certeza que era menor de idade, que pedia para ninguém olhar para o rosto dele. Outro virou para um casal de amigos e disse que nos respeitava, mas que ou ele roubava ou morria”, relembra Lucas.

O estudante disse que a maioria do grupo quis voltar no mesmo dia para o Recife. “Eu e uns amigos achamos muito perigoso sair. Trancamos tudo, sentamos no meio da sala e esperamos nossos pais nos buscarem às 5h [dessa segunda], mas o medo estava ali conosco, ninguém conseguiu dormir”, desabafa.

Para Lucas, o crime foi premeditado. “A gente tinha o costume de abrir o portão da casa assim que acordava para os amigos que sempre apareciam por lá. Eles devem ter percebido porque sabiam exatamente nossos movimentos”, analisa.

O grupo alugou a casa para passar as festas do início do ano. “Reservamos do dia 2 ao dia 16 de janeiro por R$ 6 mil. Quando escolhemos o lugar não imaginávamos isso, mas o policial que nos atendeu no dia do assalto disse que é normal acontecer roubos naquela área, que todo fim de semana alguma casa é assaltada”, contou Lucas.

A Polícia Militar foi acionada por algumas pessoas que conseguiram esconder o celular dos suspeitos. “A polícia chegou devagar e não ligaram a sirene. Entraram armados com as metralhadoras já em punhos. Nos destrancaram dos quartos e nos concentraram num quarto só para explicar o que aconteceu. Foi aí que descobrimos que aquilo tudo era normal por ali”, completou o estudante.

Mãe de Lucas, uma das vítimas, agradece o fato do filho estar bem (Foto: Reprodução/ Facebook)



Do G1 PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
RSS Feedrss

 
Powered by Blogger