segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Lançamento de edital da duplicação da BR-423, trecho Garanhuns/São Caetano, é adiado mais uma vez e fica pra 2016

Izaías conversa com técnicos do DNIT

Na última visita técnica que fez a Garanhuns,  dia 25 de setembro de 2015, o coordenador de Planejamento do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), André Nunes, afirmou: “Neste momento estamos finalizando o anteprojeto e esse trabalho in loco é de extrema importância. Passada essa fase teremos o envio desse anteprojeto para licitação, que deve ser iniciada ainda este ano”. 

O edital não foi lançado em outubro, como foi levado a crer o prefeito Izaías, nem tampouco será até o final do ano, como garantiu, à época, o técnico do Governo Federal.  Pouco mais de dois meses depois, o mesmo André, em conversa com o blog V&C, na manhã desta segunda, 07/12, alegando problemas com o anteprojeto, afirmou que o prazo não seria cumprido. Ele estabeleceu o início do próximo ano como período provável do lançamento da licitação de duplicação do trecho compreendido entre Garanhuns e São Caetano, da BR-423. 

André foi um dos integrantes da comitiva do DNIT que visitou a BR na manhã de hoje, juntamente com os prefeitos de Garanhuns, de São Caetano, além de vereadores e alguns integrantes da imprensa. O que André não sabe, é que a maioria da população de Garanhuns e do Agreste Meridional não acredita mais que o projeto saia do papel e o motivo é muito simples: as sucessivas promessas não cumpridas. Tem sido assim desde 2010. O DNIT estabelece um prazo para em seguida anunciar que não será cumprido por problemas técnicos.  Os representantes do Governo Federal não admitem, mas o problema já não é mais técnico há muito tempo e sim de falta de dinheiro. Ora, se o DNIT vem fazendo das tripas coração para tentar garantir que a manutenção e as atuais obras de duplicação das rodovias federais não parem de vez por causa do corte drástico de recursos, é obvio que não vai abrir novas e vultuosas licitações até surgir no horizonte um céu de brigadeiro, e os prognósticos dos economistas não são nada otimistas no que se refere a 2016, o que indica que a tempestade está longe do fim.

O superintendente do DNIT em Pernambuco, Cacildo Cavalcante, que também esteve presente visita de hoje, falou ao V&C sobre a expectativa frustrada do lançamento do edital de licitação e, tal como André Nunes, profetizou o início do ano como nova data na qual as coisas irão começar a acontecer. "Esse é um empreendimento que vai acontecer. Está previsto na Lei Orçamentária de 2016. Existe um interesse tanto federal quanto estadual que o investimento seja realizado.  O que houve foi uma necessidade de adequação do projeto para uma condição mais real do atual estado da rodovia", disse o superintendente. Infelizmente para Garanhuns e o Agreste Meridional o discurso de otimismo de Cacildo contrasta com outro bem mais realista, feito por quem de fato tem a chave do cofre. Há cinco meses na Diretoria Geral do DNIT, Valter Cassimiro afirmou em entrevista ao Jornal O Estado de São Paulo, dia 13 de novembro de 2015: "Por causa do ajuste fiscal, a preocupação do Dnit não é pavimentar novas estradas, mas garantir condições mínimas na malha existente. "A prioridade é a manutenção. Se tivermos de parar as obras de construção por causa da manutenção, isso será feito, porque não podemos deixar que a malha existente fique em estado intrafegável".

O ponto positivo dessa teatralização em que se transformou a duplicação da BR-423 vai para o otimismo do prefeito Izaías Régis. O gestor, mesmo com as sucessivas promessas do DNIT, que o fez tantas vezes ir às rádios anunciar datas de início do processo de licitação, que jamais foram cumpridas, continua acreditando que as coisas darão certo e sairão do papel. "Nós vamos conseguir. É uma luta árdua, dura, difícil mas são os desafios e eu tenho certeza que essa vai ser mais uma conquista, não minha mas de todo povo do Agreste Meridional e de nossa Garanhuns, que vai ganhar muito com a duplicação dessa BR. A luta é incansável, mas faço questão de cansar desde que consiga o objetivo maior que é a duplicação da BR-423, trecho São Caetano/Garanhuns", frisou Izaías em conversa com o V&C durante a visita técnica desta segunda.

É preciso relembrar que não é atribuição constitucional do Governo Municipal de Garanhuns realizar duplicação de rodovia federal. A obra é atribuição da esfera federal e está orçada em cerca de 500 milhões de reais. Junto ela, foi incluído no projeto, um contorno para que, quando finalizada, o fluxo de veículos  passe por fora de Garanhuns. Segundo André Nunes, o contorno de Garanhuns será a última etapa da duplicação.  “A gente tem uma programação de orçamento para o início do ano que vem. O trecho São Caetano a Garanhuns será a primeira etapa e o contorno de Garanhuns será a segunda etapa. A parte da duplicação está praticamente concluída e no máximo de 90 dias deveremos concluir. A área do contorno os projetistas estão aqui conosco e vão percorrer o trecho da área de zona rural, onde a duplicação de contorno deverá acontecer e ai devemos fechar todo esse procedimento até o final do primeiro semestre”, comentou.

Izaías Régis comprou essa causa e, pelo otimismo já demostrado diante das sucessivas decepções e más notícias que teimam em soprar de Brasília, ele não não vai desistir fácil.  O mesmo não se pode dizer da população de Garanhuns que continua acometida pela síndrome da São Tomeíçe, aquele discípulo que duvidou até da ressurreição e só foi convencido após ver Cristo e suas chagas. QUANDO O ASSUNTO É DUPLICAÇÃO DA BR-423, É PRECISO VER PARA CRER


 Equipamento trazido pelo DNIT para detectar
 possíveis defeitos  que a pista possui

PARA SABER MAIS  DETALHES DA VISITA TÉCNICA DO DNIT A GARANHUNS E AO TRECHO DA BR 423 clique no portal da prefeitura http://www.garanhuns.pe.gov.br/

Colaborou com a matéria, Ana Paula Ferreira 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
RSS Feedrss

 
Powered by Blogger