segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Projeto Águas de Garanhuns incentiva produtores rurais do município, por compensação ambiental, à adesão às RPPNs em suas propriedades

PRODUTOR RURAL ESCOLHE COMPENSAÇÃO AMBIENTAL 


Nem sempre é possível para o produtor rural destinar determinadas áreas de sua propriedade para preservação ambiental. Mais difícil ainda, quando se tratam daquelas com maiores recursos hídricos disponíveis que são exploradas para a produção agrícola. Mas, poucos sabem que para manter a água com qualidade, em quantidade abundante e de forma perene em suas propriedades, é preciso preservar estes recursos hídricos para que não se escasseiem. Tais recursos são as únicas fontes seguras de abastecimento nos períodos longos de estiagem, cada vez mais frequentes em nossa região.

Foi pensando nisso que o Projeto Águas de Garanhuns promoveu, através de incentivos técnicos, uma compensação ambiental sustentável aos produtores rurais que se preocupam com o futuro das águas em suas propriedades. Com a atuação do projeto, áreas de onde se localiza uma nascente ou mesmo locais de recarga de aquíferos para reabastecimento permanente dos lençóis freáticos, foram convertidos em Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN). E foram os próprios proprietários, quem definiram o tamanho da área de suas propriedades destinado à RPPN e, com isso, se comprometeram a manter o local protegido. 

Em contrapartida, o Projeto Águas de Garanhuns ofereceu formas de compensação ambientalmente sustentáveis através de serviços técnicos relacionados à instalação de sistema de irrigação ou de captação individual de água, manejo florestal sustentável para produção de madeira legal e, ainda, sistema de pastejo rotacionado em outro local da propriedade. Os proprietários escolheram uma das técnicas e o trabalho já vem sendo executado sem qualquer ônus àqueles que aderiram à RPPN. Com isso, em um futuro bem próximo, além de garantir o provimento de água em suas propriedades, poderão inovar, manter e, até aumentar sua produção e produtividade mesmo disponibilizando parte de uma de suas áreas de interesse econômico. Sem dizer outros inúmeros benefícios, concedidos por Lei, como o direito de propriedade preservado, isenção de Imposto Territorial Rural referente à área reconhecida como RPPN, prioridade de análise dos projetos pelo Fundo Nacional de Meio Ambiente – FNMA, preferência na análise de pedidos de crédito agrícola junto a instituições de crédito, maiores possibilidades de apoio dos órgãos governamentais para fiscalização e proteção da área, por ser uma Unidade de Conservação, cooperação com entidades privadas e públicas na proteção, gestão e manejo da RPPN, entre outras.

Contando com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, o Projeto Águas de Garanhuns atualmente trabalha na recuperação de três áreas de nascentes, sendo duas delas inseridas na bacia hidrográfica do rio Paraíba do Meio e uma na do rio Mundaú, todas no município. Até o momento, como forma de compensação ambiental sustentável destes proprietários que optaram por cessão de áreas para RPPN, já foi implantado um sistema de irrigação no sítio Oiteiro e está sendo finalizado um sistema de captação de água para dessedentação animal no sítio Cruz. Em breve, serão iniciados os trabalhos de manejo florestal sustentável para produção de madeira legal no Rancho Firmino, opção técnica escolhida pelo proprietário como inovação de sua produção na região e amplamente incentivada pelo Projeto. Para saber mais sobre como estão sendo executados os trabalhos do Projeto Águas de Garanhuns, acesse: www.econordeste.org.br

Com informações da Ong Econordeste
.


interesse econômico. Sem dizer outros inúmeros

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
RSS Feedrss

 
Powered by Blogger