quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Obra para conter avanço de grande buraco na Rua Miguel Arraes põe novamente em risco nascente do Rio Mundaú, em Garanhuns, diz CODEMA


Uma obra executada na Rua Miguel Arraes, no bairro Cohab 2, vem sendo alvo de preocupação por parte de alguns ambientalistas. É que o serviço pode, no futuro, ser prejudicial à nascente do Rio Mundaú, em Garanhuns. Em fevereiro, uma forte chuva aterrou parte do córrego. Agora, o problema é a contenção do avanço de uma voçoroca que ameaça engolir algumas residências da comunidade. 

É preciso que se diga que o serviço, que visa aterrar o enorme buraco, é necessário e vinha sendo esperado há anos pelos moradores da Rua Miguel Arraes RELEMBRE. "Nossa composição geográfica é formada por areia e argila. Como estamos em um planalto todas as chuvas se precipitam para as laterais das encostas. O grande volume de água forma as erosões e as erosões dão origem as voçorocas (buracos)", disse o pesquisador Fernando Luna, que estuda o assunto há 23 anos. 

A reclamação do (CODEMA), Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente, é que o aterramento das voçorocas está sendo feito sem drenagem. É o que diz o presidente do órgão, Luis Sebastião de Figueiredo. "Existe uma mata próximo à nascente que pode ser extinta no futuro. Vai colocar terra que não é própria pra fazer isso, e mais sem drenagem. Vai colocar na própria nascente que é para aflorar água, terra contaminada? O risco disso é até extinguir o olho d´água" afirmou o ambientalista. Mas para o engenheiro da Prefeitura de Garanhuns, João Guido, esse risco não existe porque, segundo ele, a drenagem será feita. Ele ainda enfatizou que a obra é imprescindível para evitar o risco de a voçoroca engolir casas que ficam próximas ao buraco. Ainda segundo Guido, além da recomposição da erosão, a obra contemplará também uma pavimentação e a drenagem de que os ambientalistas reclamam. A nova problemática que envolve a sofrida e mal cuidada nascente do Mundaú foi tema de uma reportagem exibida pelo AB TV 2ª edição neste dia 21 de outubro. Para ter acesso ao vídeo da reportagem, clique  AQUI

Fonte: TV Asa Branca

CONFIRA A ÍNTEGRA DA NOTA DE ESCLARECIMENTO ENVIADA PELA PREFEITURA DE GARANHUNS À IMPRENSA

"O Governo Municipal reafirma o seu compromisso com o meio ambiente e com a segurança da população e esclarece que as obras de recomposição da área degrada no bairro Francisco Figueira (Coahb 2) estão sendo realizadas com responsabilidade e eficiência. O projeto, que está sendo realizado com recursos próprios, contempla inicialmente a recomposição da erosão, em caráter emergencial, pois a área erodida estava colocando em risco a população do bairro e os imóveis que estão localizados próximo da voçoroca.

O projeto que visa resolver definitivamente o problema daquela localidade contempla a recomposição da área erodida, pavimentação de ruas e de sistema de drenagem com descida em degraus, além de dissipador de energia. A drenagem irá captar as águas, por meio de canaleta, que possam ser destinadas para aquela microbacia e assim resolver os problemas ambientais causados pelas voçorocas definitivamente evitando mais danos.

A Prefeitura de Garanhuns informa que o projeto foi encaminhado no último dia 10 de agosto para a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) para o devido licenciamento e que as obras tiveram início no dia 2 de outubro de forma emergencial, pois a voçoroca estava oferecendo riscos à comunidade do bairro. O Governo Municipal reafirma o seu compromisso com a população e informa que o projeto pretende resolver o problema definitivamente. " 


Um comentário:

  1. É interesessante a terra contaminada pode contaminar a nascente e a criação de porcos a mesmos de 200 metros não contamina?
    A mais de 4 anos existe essa criação de porcos e ninguém nunca disse nada,foi a prefeitura tentar resolver começa as denúncias. Por quê será?

    ResponderExcluir

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
RSS Feedrss

 
Powered by Blogger