quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

BOM CONSELHO, ANGELIM, IATI E JUPI: Quadrilha que fraudava licitações em prfeituras e movimentou mais de cem milhões de reais atuava em quatro cidades do Agreste Meridional, confirma PF

PF cumprindo mandados de busca e apreensão em Garanhuns

O assessor de imprensa da Polícia Federal para Pernambuco, Giovanni Santoro, divulgou agora a pouco em um grupo de WhatsApp que são 10 as cidades do Agreste onde  uma organização criminosa agia fraudando licitações públicas. No Agreste Meridional, segundo Santoro, as cidades onde o cartel atuava eram Bom Conselho, Angelim, Iati e Jupi.  O assessor ainda fez questão de ressaltar que apesar de os policiais estarem cumprindo mandados em Garanhuns e São João, as prefeituras destes dois municípios não fazem parte do esquema criminoso ( ver mensagem no final desta publicação). 

Desde as primeiras horas de hoje, 15 de fevereiro, uma operação   70 (setenta) policiais federais e 10 (dez) membros da Controladoria Geral da União estão dando cumprimento a 17 (dezessete) Mandados de Busca e Apreensão nos municípios de Agrestina (03), Caruaru (06), Garanhuns (07) e São João  (01) com o objetivo de arrecadar e apreender material comprobatório (documentos, planilhas, mídias de computador) para subsidiar as investigações que estão em andamento.

As investigações da Polícia Federal que tiveram início em junho de 2016 tiveram seu nascedouro baseado em relatórios da CGU sendo motivada por denúncias de um vereador de um dos municípios investigados. Identificou-se diversas irregularidades envolvendo a contratação de empresas, valendo-se de favorecimento a determinado cartel compostas de sócios-laranjas, que de forma reiterada vinha se sagrando vencedoras em licitações para execução de obra públicas com verbas federais especialmente na área da saúde e da educação e infraestrutura. 

A organização criminosa contava com a participação de agentes públicos municipais para fraudar processos licitatórios com direcionamento de seus resultados. Os valores de recursos públicos destinados às empresas investigadas de modo a beneficiar políticos, parentes e empresários gira em torno de 100 milhões de reais em empenhos suspeitos envolvendo 10 prefeituras.

Também serão indiciados 08 (oito) pessoas suspeitas entre políticos, representantes de empresas e servidores públicos, os quais serão responsabilizados na medida de sua participação nos crimes de frustação de caráter competitivo de licitação (artigo 90 da Lei 8.666/93 – 2 a 4 anos de detenção), fraude na contratação (artigo 96 V da Lei 8666/93 – 3 a 6 anos de detenção), corrupção ativa e passiva (Artigos 317 e 333 do Código Penal - 2 a 12 anos de reclusão cada crime), crime de responsabilidade (Artigo 1º, II do Decreto Lei nº 201/67 - 2 a 12 anos de reclusão), cujas penas somadas ultrapassam os 30 anos reclusão. Coletiva de imprensa será concedida na Delegacia de Polícia Federal em Caruaru no final da manhã de hohe onde serão dados maiores detalhes e esclarecimentos sobre a operação.



CONFIRA A MENSAGEM DO ASSESSOR DE IMPRENSA DA PF
"Amigos da imprensa. as Prefeituras onde o Cartel atuava eram: Agrestina, Panelas, Jurema,Água Preta, Lagoa dos Gatos, Bom Conselho, Jupi, Iati, Riacho das Almas e Angelim! As buscas estão sendo feitas em Agrestina, Caruaru(Prefeitura não faz parte do esquema), Garanhuns (não faz parte do esquema) e São João(não faz parte do esquema)! Esses locais é onde moram os integrantes dos  cartéis e as empresas!"


PARA SABER MAIS SOBRE A OPERAÇÃO COSA NOSTRA CLIQUE AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
RSS Feedrss

 
Powered by Blogger