CLIQUE NO BANNER E SEJA REDIRECIONADO PARA O SITE DA PREFEITURA

terça-feira, 28 de novembro de 2017

PROPOSTA DESAGRADAVA ALGUNS FEIRANTES: Prefeitura de Garanhuns retira da pauta da Câmara Municipal Projeto de Lei que pretendia privatizar administração da Ceaga

Movimentação de feirantes em frente a Câmara Municipal de Garanhuns

A Prefeitura de Garanhuns retirou da pauta das comissões da Câmara de Vereadores o Projeto de Lei 040/2017 que pretendia autorizar o Executivo Municipal a abrir uma licitação para entregar a iniciativa privada a concessão para administrar a Ceaga.  De acordo com o PL, após a autorização do legislativo, haveria uma licitação na modalidade Concorrência para a escolha da empresa vencedora. Ainda de acordo com O PL 040,  a concessão traria benefícios ao município porque a prefeitura não arcaria com o custo da manutenção e organização da Ceaga, especialmente com custo de reformas e adequação do complexo como um todo. ENTENDA MELHOR A PROPOSTA CLICANDO AQUI

A proposta começaria a tramitar nas comissões da Casa Raimundo de Moraes esta semana, mas, segundo o vereador Ary Júnior, o Governo Municipal pediu a retirada de tramitação para fazer algumas correções.  O PL 040 desagradou os feirantes.  Vários deles estiveram na Câmara Municipal na manhã desta segunda-feira, 27 de novembro, para acompanhar o início da discussão em torno do assunto, mas foram surpreendidos pela notícia da devolução ao Executivo Municipal.


A presidente da Associação de Feirantes de Garanhuns, Silvana Monteiro, em conversa com o V&C, afirmou que os comerciantes que trabalham na Ceaga não concordam com o Projeto de Lei de Concessão porque não houve discussão suficiente com a categoria. Outro feirante presente na câmara nesta manhã disse que temer que a proposta prejudique aqueles que pequenos comerciantes. 

PADRONIZAÇÃO DAS FEIRAS LIVRES
Com a retirada da concessão da Ceaga de de discussão, (pelo menos por enquanto) as atenções dos feirantes se voltam agora para a padronização das feiras livres, iniciativa capitaneada pelo  MPPE, através de seu programa Carne de Primeira "Temos que analisar os pontos negativos e positivos sobre essa padronização das feiras livres. Discutimos com um assessor da prefeitura há cerca de seis meses sobre a padronização das feiras. Discutimos sobre tamanho das bancas, valores, situação do pequeno comerciante, entre outras coisas, mas o problema é que o que foi discutido há seis meses atrás não é igual ao que a prefeitura propõe hoje", disse Silvana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...