sexta-feira, 18 de março de 2016

Policia Federal fecha rinha de galo em Gravatá pertencente a oficial da PM


A Polícia Federal em Pernambuco com apoio do IBAMA, deflagrou na manhã de ontem (17), após 3 (três) meses de investigação, uma ação que teve como objetivo de fechar as atividades e reprimir a prática delituosa de rinha de galo no Loteamento Santana na cidade de Gravatá/PE. Na ação foram empregados 25 policiais federais de Recife/PE e Caruaru/PE, além de 5 fiscais do IBAMA, os quais se dirigiram por volta das 15h horas do dia 17/03/2015 até o local suspeito com vistas a verificar a veracidade das informações levantadas pela Polícia Federal a respeito de uma grande concentração de pessoas que estavam se reunindo em um galpão com o objetivo de colocar galos para brigar em competições de rinhas, onde eram feitas apostas dos mais diversos valores! 

 As investigações também apontavam que o local ficava num lugar muito afastado da cidade, sendo o seu caminho por estrada de barro e que tanto o edifício quanto a maior quantidade de galos expostos naquele local, onde aconteciam tais rinhas era de um oficial da Polícia Militar/PE que se utilizava de outros militares para fazer a segurança do local. A ação teve seu desfecho final quando as equipes de policias federais e do IBAMA se dirigiram até o local e ao entrar no local perceberam a existência de 130 pessoas que estavam frequentando o local com o objetivo de colocar seus animais para lutarem nas rinhas e também apostarem alguma quantia em dinheiro através de competições realizadas naquele local. 

Também foi encontrado em outros pavimentos do estabelecimento cerca de 160 (cento e sessenta) galos de propriedade do oficial da policial militar que além de treiná-los para as rinhas também utilizava o local como arena para que as brigas fossem realizadas! O local onde os galos eram postos para brigar possuía o nome de “Pena Forte”, dispunha de ar condicionado, cadeira para os espectadores, sistema de som, aparelho de televisão e venda de lanches e acessórios e souvenires tanto para os galos como para os participantes! Todas as 130 pessoas que se encontravam naquele local foram revistadas, porém, não foi encontrado nenhum objeto de crime que ensejasse suas prisões em flagrante! Porém foi detectado a presença de dois policiais militares armados, sendo um Cabo e um Soldado que estavam fazendo a segurança do local e por não estarem com nenhum galo e não terem participado dos eventos daquele local, foram registrados os seus dados qualificativos para futuro encaminhamento de uma informação por parte da polícia federal para a polícia militar afim de que sejam averiguados possíveis irregulares disciplinares no âmbito da corregedoria! 

 Após todos os 130 terem sidos devidamente identificados no local, foram liberadas 120 pessoas, ficando 10 pessoas que estavam com galos naquela ocasião, os quais receberam multas no valor de R$ 3000 mil reais por animal e o oficial por ter cerca de 160 animais recebeu multa no valor de R$ 500 reais por animais – (caso tais multas não sejam pagas o nome dessas pessoas é negativado no SPC e SERASA ficando impossibilitado de fazer várias transações comerciais e financeiras). O oficial presenciou todas as buscas tendo ficado como fiel depositário de seus respectivos animais (galos) e foi acompanhado o tempo todo por outros policias militares de seu batalhão! 

Terminado os trabalhos investigativos e tendo tudo sendo apreendido tanto o oficial como os 10 suspeitos foram levados até a Delegacia de Polícia Federal em Caruaru/PE, foram informados dos seus direitos e garantias constitucionais, onde acabaram sendo autuados através de um Termo Circunstanciado de Ocorrência pela prática contida no artigo 32 da lei 9.605/98 – (praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres ou domésticos - Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa). Os prêmios auferidos nos campeonatos de rinhas de galo promovido pelo Clube Pena Forte variavam de R$ 1.500,00 a 20.000,00 para o galo campeão e de R$ 500,00 para R$ 10.000,00 mil para o tratador do animal.

4 comentários:

  1. Criadores de galos combatentes não cometem maus-tratos. São os únicos defensores desses animais!!! IBAMA e outros órgãos "falsos defensores" apreendem e matam os animais... Sem os criadores a raça já estaria extinta... Acorda Brasil!!! Legalize já!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc poderia também participar das rinhas, pois seu cérebro é menor que o de um galo!

      Excluir
  2. Se isto que vcs dizem que é maus-tratos cometidos pelos criadores .qual nome vcs dão ao que o IBAMA faz com os galos ????

    ResponderExcluir
  3. pessoal do ibama sao todos assasinos...

    ResponderExcluir

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
RSS Feedrss

 
Powered by Blogger