quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

A cada 32 horas uma mulher é vítima de algum tipo de agressão em Garanhuns, revelam estatísticas

Estatísticas de atendimento à mulher nos anos de 2014 e 2015
Clique na imagem para ampliá-la

Um gráfico comparativo divulgado pela Secretaria Municipal da Mulher, relativo aos anos de 2014 e 2015, revelou uma triste estatística. De janeiro de 2014 a novembro de 2015, nada mais nada menos, do que 945 boletins de ocorrência foram registrados na Delegacia da Mulher em Garanhuns relatando algum tipo de agressão à mulher. É como se a cada 32 horas uma mulher fosse vítima de agressão no município.

O dígito acentuado, quase ultrapassando a casa dos mil BOs, deixa evidente que, se houve um aumento das denúncias, foi porque as mulheres resolveram quebrar o silêncio, e isso não tem se dado por acaso.  É fruto do esforço conjunto de vários órgãos, incluindo Ministério Público, Polícias Civil e Militar, Poder Judiciário, Imprensa, e em especial, Secretaria Municipal da Mulher. Deixamos a secretaria por último propositalmente para destacar o trabalho incansável da sua titular, Eliane Simões, que foi a grande responsável pela criação de várias boas iniciativas que têm se mostrado eficazes na batalha contra esse tipo violência, que adquiriu ares de verdadeira epidemia na cidade.
Eliane Simões

Vale a pena destacar, por exemplo, a criação da Câmara Técnica de Enfrentamento à Violência e Gênero, o WhatsApp Mulher, a Patrulha Cidadã e o Projeto Maria da Penha Vai a Escola, todos esses gerados através da articulação de Eliane. A integração destes programas, aliada à campanhas de divulgação e esclarecimento, formam uma sólida e perene rede de proteção e enfrentamento à violência doméstica que, à disposição das mulheres, traz, sem sombra de dúvidas, maior segurança para que as vítimas de agressão procurem os órgãos competentes e denunciem seus algozes.

Como bem frisou Eliane Simões, em um dos diversos encontros promovidos pela SEC MUL para discutir o assunto, o combate a esse tipo de crime é difícil é se dá por um caminho lento, pois se trata da desconstrução de uma cultura de violência arraigada há séculos na sociedade.  "Nossa intenção é que estas ações e programas criados através de parcerias com os órgãos que trabalham com essa temática sejam ainda mais divulgadas, para que todo o município seja atingido com essa informação”, registrou a titular da pasta, à ocasião.

CONFIRA DADOS RELATIVOS A 2014 E 2015




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
RSS Feedrss

 
Powered by Blogger