sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Escritor Igor Cardoso lança no Recife livro que conta a saga de maestro francês pela Garanhuns do início do século passado

Está no NE 10

Um maestro que transitou entre a França - seu país de origem - e a cidade de Garanhuns, Agreste do Estado e que teve a consumação do seu desejo de escrever uma ópera inspirada nos Sertões, de Euclides da Cunha, em Minas Gerais. Com a ressalva de que as inspirações vieram do período em que Fernand Jouteux se tornou um Pernambucano de fato e um Garanhuense de coração. A saga do maestro francês é contada em pouco mais de trinta capítulos de um livro com título homônimo, complementado pelo subtítulo ‘O Maestro de Chapéu de Couro’, de autoria do advogado e escritor Ígor Cardoso, de Garanhuns. A obra ganha lançamento nesta sexta (27), às 18h, no Instituto do Ministério Público de Pernambuco (IMPPE). 

“Assim como ele, consolidei o livro depois de uma visita a Tiradentes (MG). Por lá encontrei uma grande parte do acervo do maestro guardado e, digamos, à espera de ser ‘despertado’. Agora é a vez de dar conhecimento ao público de sua importância para a história da música e da cidade que ele abraçou”, comentou Ígor.

Desde transcrições originais de cartas trocadas com o importante escritor e jornalista francês Georges Bernanos até a sua relação musical com o Recife e todos os percalços enfrentados pela falta de apoio,na época, com nomes como Waldemar de Oliveira e Mário Melo, são sensivelmente narrados nas paginas do livro.

Com prefácio de Dominique Dreyfus (Universidade Sorbonne) e apresentação de Marcílio Reinaux, além do respaldo de ‘orelha’ de Luzinette Laporte, também escritora, Fernand Jouteux - O Maestro de Chapéu de Couro resgata, com maestria, a musicalidade aliada à história de Pernambuco e de Garanhuns, em uma biografia que não deixa brechas e vai se perpetuar nas estantes da história nacional, graças à ousadia de um jovem apaixonado pelas memórias de seu município.

DO V&C;

A fazenda “Belle Aliance” que pertenceu ao maestro Jouteux, em fins do século XIX e início do século XX, e onde ele compôs a ópera “O Sertão”, montada em Belo Horizonte em 1954 ainda sobrevive ao tempo em Garanhuns (ver foto abaixo).  O acervo  documental do maestro e compositor francês Fernand Jouteux encontra-se no Instituto Histórico de Tiradentes/MG e impressiona pela quantidade de documentos e pela qualidade, inclusive com a quase totalidade de sua obra musical, além de fotografias feitas em Garanhuns, no início do século XX. 

Sede da Fazenda Bella Aliança em Garanhuns - PE


QUEM FOI  JOUTEUX  

Eugène-Maurice Férnand Jouteux, nascido na cidade de Chinon, Indre-et-Loire, em 11 de janeiro de 1866, filho de um advogado de Chinon, faz seus primeiros estudos no liceu local e, em 1884, ingressa no curso de composição do famoso Conservatório de Paris, onde toma aula com o consagrado Jules Massenet. Adquiriu em Garanhuns um sítio avarandado a que deu o nome de “Belle Alliance” e lá compôs grande parte de suas obras. O maestro faleceu em 1956.

Senhor e senhora Jouteaux e a pequena Stelle, Pernambuco, década de 30
PARA SABER MAIS SOBRE A OBRA DO MAESTRO JOUTEUX CLIQUE AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
RSS Feedrss

 
Powered by Blogger