terça-feira, 22 de setembro de 2015

Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns 2015 divulga programação


Escritores e ilustradores do Brasil e do mundo estarão reunidos de 15 a 18 de outubro, em Garanhuns, no Agreste pernambucano, para compartilhar, com crianças e adultos, suas experiências sobre o universo da literatura infantil. Além de palestras, oficinas e mesas-redondas, a 2ª edição do Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns (Filig 2015) traz novidades, como a participação de editores nos debates; intervenções literárias em espaços públicos da cidade e um projeto-piloto de requalificação de bibliotecas e salas de leituras. A programação completa foi divulgada hoje (22), em coletiva de imprensa, realizada no auditório da Autarquia do Ensino Superior de Garanhuns (Aesga).

Com o tema “Poesia, rima e prosa da fantasia”, o Filig é uma realização da Proa Cultural, em parceria com a Ferreira Costa, Prefeitura de Garanhuns, Secretaria de Educação de Garanhuns e o Serviço Social do Comércio (Sesc) de Garanhuns.

Entre os nomes internacionais, participam este ano os escritores e ilustradores Miguel Tanco (Espanha), Anabella López (Argentina) e Anna Laura Cantone (Itália). Os convidados brasileiros são Leo Cunha (Minas Gerais) e os pernambucanos Rosinha Campos, Lenice Gomes e André Neves, que atualmente mora em Porto Alegre-RS.

Para falar sobre os desafios do mercado de livros infantis, o Filig convidou ainda os editores Annete Baldi (Editora Projeto - RS), Renata Nakano (Edições de Janeiro – RJ) e Peter O’Sagae (Dobras da Leitura – SP).

De acordo com o curador do Filig, Luciano Pontes, a ideia de trazer os editores para o festival é possibilitar que o público conheça o papel deles na produção literária. “É um trabalho pouco conhecido, mas de extrema relevância. Convidamos os editores para falar sobre o trabalho como críticos literários”, explica.

A expectativa dos organizadores do Filig é superar o público do ano passado, quando mais de 6 mil pessoas participaram das atividades programadas para os quatro dias de evento.
O Filig tem uma programação voltada tanto para a criançada, como para os adultos. Nas atividades previstas, o público poderá participar de oficinas, sendo duas para crianças e duas para adultos, que serão realizadas no Sesc Garanhuns pela manhã e à tarde. A programação segue no Parque Ruben van der Linden, mais conhecido como Pau Pombo, no turno da tarde. O espaço, que fica na área central de Garanhuns e tem infraestrutura de lazer, receberá espaços de leitura, bate-papos, lançamentos, feira de livros e apresentações culturais. Já a programação de palestras para o público adulto será realizada à noite, no auditório do Sesc de Garanhuns. Todas as atividades são abertas ao público.

Intervenções literárias – Além das atividades no período de 15 a 18 de outubro, os organizadores do Filig realizam de setembro de 2015 a janeiro de 2016 intervenções literárias com grupos artísticos de Garanhuns. As intervenções são mensais e acontecem em locais públicos, como o Espaço Luiz Jardim.

Projeto-piloto - Muito mais do que um festival que movimenta Garanhuns, o Filig realiza ações ao longo do ano com a proposta de incentivar a formação de leitores. “Acreditamos que a leitura é transformadora. Para qualquer pessoa e em qualquer idade. Mas também achamos que é ainda mais importante quando, desde pequenininhos, somos apresentados ao universo literário”, afirma Camila Bandeira, da Proa Cultural.


Neste ano, o Filig iniciou um projeto-piloto desenvolvido em setes salas de leituras e três bibliotecas de Garanhuns, que passarão a contar com catalogação do acervo a partir de um sistema de cores. Todos os profissionais que atuam nestes espaços estão sendo capacitados nas oficinas de formação continuada promovidas pelo festival.

Formação continuada - Iniciadas em agosto e com término previsto para o fim do ano, as oficinas de formação continuada do Filig contam com 50 participantes, entre profissionais da Secretaria de Educação Municipal, do Sesc e de bibliotecas de Garanhuns. O objetivo do curso, dividido em quatro encontros e com carga horária total de 32h/aula, é formar multiplicadores de leitura para atuação direta em literatura infantil na cidade. A capacitação é ministrada pela coordenadora pedagógica do Filig 2015, Érica Verçosa, e pela bibliotecária Cida Fernandez, integrante do Centro de Cultura Luiz Freire (CCLF), que desenvolveu o Sistema de Classificação por Cores.

Kits de leitura - Outra ação importante do festival é a doação de mais 60 kits de leitura para bibliotecas e escolas da rede municipal de ensino, assim como na edição do ano passado quando também foram doados cerca de 60 kits. A seleção dos livros é feita pela curadoria e coordenação pedagógica do Filig.

Ferreira Costa - Com 130 anos de fundação, a Ferreira Costa -principal patrocinadora do Filig - vem se envolvendo em diversas ações voltadas para a valorização das expressões culturais. São vários projetos apoiados pela Ferreira Costa, sobretudo os que visam o incentivo à leitura e à literatura. Uma dessas iniciativas é o Projeto Sala de Leitura. Realizado desde 2005, tem como objetivo democratizar o acesso ao livro e incentivar o hábito de leitura entre alunos da rede municipal de ensino.

O acervo das salas engloba 1.000 títulos não­ didáticos, incluindo infantis, infanto­-juvenis, obras de ficção, psicologia, sociologia, literatura brasileira e estrangeira. As obras são doadas para escolas públicas e, inclusive, é feita uma capacitação para que a própria entidade possa administrar o espaço de leitura. Já foram implantadas 84 salas de leitura, distribuídas pelas cidades de Garanhuns, Lajedo, Bom Conselho, e nas capitais Recife e Salvador.A empresa também participou de duas edições da Bienal do Livro de Garanhuns, em 2012 e 2014, promovendo ações de contação de história e de doação de livros.

Ao promover o Filig, a Ferreira Costa busca desenvolver uma série de ações artístico-educativas, com foco em Literatura Infantil, envolvendo escolas públicas, bibliotecas, salas de leitura das escolas, a Academia de Letras de Garanhuns, profissionais liberais, entre outros atores da comunidade literária.


Autores presentes no FILIG:

Anabella López (Argentina)- Ilustradora argentina, formada em design gráfico pela Universidade de Buenos Aires, onde também foi professora por vários anos. Desde 2009 trabalha exclusivamente como ilustradora e escritora de livros. Tem livros publicados na Argentina, Brasil, México, Estados Unidos, Canadá, França e nos Emirados Árabes. Em 2011 foi selecionada para participar da Mostra Internacional de Ilustração em Sàrmede (Itália), sendo escolhida para integrar seu importante catálogo internacional. Em 2014, foi selecionada para participar da Mostra Internacional de Ilustração de Sharjah nos Emirados Árabes e também para formar parte do catálogo de ilustradores da mostra. Atualmente mora em Porto de Galinhas dividindo seu tempo entre os livros encomendados por editoras e seus próprios projetos autorais, que unem texto e imagens.

Miguel Tanco (Espanha) - Nasceu na cidade de Badajoz, na Espanha. Miguel Tanco se aproximou da literatura na infância e tornou-se um devorador de imagens, histórias e livros. Em 1999, ele deixou Sevilha para estudar na Escola de Artes Visuais em Nova Iorque (EUA) e fez cursos na Itália. Seu estilo é caracterizado pela expressividade de seus personagens, composições limpas e intenso cromatismo. A essência de seu trabalho é a infância. Suas ilustrações abordam a relação da criança com o mundo dos adultos e os paradoxos que existem entre eles. Atualmente trabalha como ilustrador em Milão (Itália) e já teve trabalhos publicados por editoras de vários países. Ensina ilustração na Espanha e na Itália e ministra oficinas para crianças e adolescentes. Participou de exposições na Itália e na Alemanha. Também recebeu menção especial da Revista de Ilustração Contemporânea (Estados Unidos) e da Sociedade de Ilustradores de Los Angeles; e já teve trabalhos reconhecidos por revistas de ilustração como Andersen (Italia) o DPI (Taiwan).

Anna Laura Cantone (Itália) - Anna Laura Cantone nasceu em Alexandria em 1977. Graduou-se em ilustrações para crianças no instituto Europeu de Desenho de Milão. Começou a carreira trabalhando em revistas para crianças, mas hoje em dia passa a maior parte do tempo escrevendo e ilustrando livros para diversas editoras ao redor do mundo. Tem muitas publicações premiadas. A obra “O mundo da Infância” (2003) recebeu o Prêmio Andersen de Melhor Livro para Crianças. Seus trabalhos já foram selecionados pela Feira de Livros de Bolonha; Bienal de Ilustração de Bratislava; pela Feira Nacional do livro de Taipei.

André Neves - Considerado um dos mais renomados ilustradores de literatura infantil e juvenil da atualidade. Há quase dez anos atua como ilustrador, lançou mais de 50 obras; foi indicado ao Prêmio Jabuti e recebeu o Prêmio Luís Jardim na categoria Melhor Livro de Imagem com Seca. Nasceu no Recife e mora em Porto Alegre. Formado em relações públicas, começou a estudar Artes Plásticas em 1995. Desde então, atua como escritor e ilustrador de suas obras e de outros autores, somando mais de 100 publicações. É arte-educador e promove palestras e oficinas sobre Literatura Infantil e Juvenil. Sua obra mais recente é o Livro Malvina de 2013. Um ano antes, em 2012, o autor publicou Tom, um trabalho que rendeu tantas imagens, que gerou uma exposição. A história do menino Tom é contada por seu irmão, que sempre o observa intrigado: "Por que Tom não brinca? Por que Tom não diz o que sente? (...) Onde Tom guarda todos os seus sonhos?". Até que um dia, Tom chama seu irmão para que conheça o seu segredo e assim possam, de verdade, se aproximar.”

Lenice Gomes (PE) - Pernambucana de Jupi, no Agreste do Estado e moradora de Olinda, Lenice é autora de mais de trinta livros de Literatura infantil. Em 2003 foi finalista do Prêmio Jabuti com o livro “Brincando Adivinhas”, das Edições Paulinas. Vários de seus livros receberam o Selo “Altamente Recomendável” e também foram incluídos no Acervo Básico da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ). A escritora participa anualmente da Feira do Livro Infantil de Bolonha. Ministra cursos sobre literatura infantil para professores, pais e bibliotecários no Brasil e no exterior. Em 2015 foi homenageada no Encontro Internacional de Contadores de História, na cidade de Havana, em Cuba, pela sua trajetória de trabalho com a oralidade.

Leo Cunha (MG) - jornalista, professor, escritor e tradutor. Já publicou cerca de 50 livros para crianças e jovens, nos mais diversos gêneros: poesia, conto, novela, crônica, teatro. As maiores marcas de sua obra são o lirismo, as brincadeiras com a linguagem e o humor.  A paixão pela comédia fez esse mineiro desenvolver uma tese de mestrado em cinema, na Universidade Federal de Minas Gerais, sobre os heróis cômicos. Sua obra recebeu os principais prêmios da literatura infanto juvenil brasileira, como o Jabuti, Nestlé, João-de-Barro, FNLIJ e Biblioteca Nacional.


Rosinha Campos (PE) - Nascida no Recife e moradora de Olinda, Rosinha deixou a arquitetura depois de se apaixonar pela literatura infantil e juvenil e passou a se dedicar à ilustração. Em 1994 lançou seu primeiro livro. Desde então frequenta as bienais e feiras do livro, o Salão FNLIJ do Livro para Crianças e Jovens e a Children’s book fair Bologna. Pós-graduada em Literatura Infantil e Juvenil e com formação artística com o artista plástico japonês Sunish Yamada, passou a ilustrar, desde 2003, para as editoras de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Em 2007 começou a escrever e atualmente divide seu tempo entre texto e ilustração. Recebeu vários prêmios da FNLIJ e o prêmio Jabuti, pela coleção “Palavra Rimada com Imagem”, publicada pela Editora Projeto. Tem mais de 90 livros publicados.

Com informações da Secom/ Fotos Ana Paula Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
RSS Feedrss

 
Powered by Blogger