domingo, 27 de setembro de 2015

Estudantes da UFRPE em Garanhuns farão protesto em favor de pleno funcionamento do Hospital Veterinário Universitário


Hospital Veterinário Universitário: o nome é pomposo e dá a ideia de que tudo funciona corretamente. Mas, segundo alunos, professores e técnicos da UFRPE, o da (UAG), anda mal das pernas e tem funcionado de maneira precária, devagar, quase parando. E é para tentar mudar esse estado de coisas que a comunidade acadêmica e sobretudo estudantes de Medicina Veterinária, Zootecnia e Agronomia, além da população de Garanhuns em geral, estão organizando um grande protesto na próxima terça (29/09) às 13 horas em frente à guarita do campus.

O ato vem sendo chamado de Manifesto HVU JÁ e tem o objetivo maior de reivindicar o total funcionamento do Hospital Veterinário Universitário. Entretanto, para entender melhor os motivos do Manifesto é preciso voltar um pouco no tempo e compreender como a situação chegou a esse ponto. Para isso, reproduzimos a íntegra de uma nota enviada pelos organizadores do manifesto. O relato narra de forma didática um problema sério que vem prejudicando a todos. CONFIRA ABAIXO


O PORQUÊ DO MANIFESTO HVU JÁ

"Como é do conhecimento de alguns, o Hospital Veterinário Universitário levou infinitamente mais tempo do que o necessário para ficar “pronto”, já que não está pronto completamente, já que ainda possui inúmeras falhas de estrutura. Entretanto, foi aberto para atendimentos sem divulgação pública. Em tese, o hospital deveria servir para atender à população e para aulas práticas dos estudantes de Medicina Veterinária da unidade, mas isso não tem ocorrido de forma satisfatória.

Os técnicos do hospital estão em greve juntamente com outros técnicos de outras instituições e segmentos do país, e embora os professores não estejam em greve da mesma forma, podendo realizar atendimentos em aulas práticas com os alunos, tais atividades têm sido dificultadas, e por vezes, impedidas.

 Nas últimas semanas, mais especificamente, nos dias 22/09 e 23/09 ocorreram situações de total desrespeito para com os animais, a população em geral e os alunos, que ficaram de mãos atadas ante um paciente que não pôde ser atendido – sequer mantido em uma fluidoterapia – porque o hospital não disponibilizou o material necessário para tal procedimento. No dia seguinte, alunos foram impossibilitados de realizar uma aula prática de Técnica Cirúrgica Veterinária por falta, também, de disponibilização (não havia falta elementar de materiais, já que TODO o material encontrava-se dentro do hospital) de materiais de consumo. Vale salientar que todos os materiais estavam disponíveis, guardados no hospital, e muitos deles, acredita- se, com prazo de validade avançado – para não dizer vencido – visto que não há rotina e, portanto, não há uso desses materiais. A direção alegou falta de memorandos com oito (OITO) dias de antecedência solicitando tais materiais e que a responsável pelo setor não estivera presente no momento para solucionar o problema.

Como consequência, as aulas foram simplesmente canceladas, às vésperas das primeiras Verificações de Aprendizagem, ao invés de os responsáveis superiores pelo hospital resolverem o problema e facilitarem a realização de aulas práticas – visto que já são raras e difíceis na unidade acadêmica – em nome de burocracias, e posteriormente, resolverem e discutirem as questões cabíveis no caso.

 Alunos e professores foram simplesmente proibidos de entrar no hospital por motivos diversos e incabíveis, sendo obrigados a – em uma forma até mesmo de protesto – assistir à aula do lado de fora do prédio do hospital. E ainda, nessas e em outras situações, professores foram simplesmente proibidos de utilizar o auditório – vazio – do hospital para suas aulas teóricas, mesmo com memorandos enviados com oito dias de antecedência.

 Em outra ocasião, uma ex-aluna da unidade foi proibida recentemente de ministrar uma aula cedida propositalmente para fins didáticos específicos pela professora responsável pela disciplina, também sem motivos cabíveis e justificáveis. É por essas e outras - tantas - situações que já ocorreram, que no dia 29/09/15, às 13h (concentração), em frente à guarita do Hospital Veterinário Universitário, estudantes de Medicina Veterinária, Zootecnia, Agronomia, e demais cursos, professores, técnicos, e a própria população estará presente para um manifesto em prol do correto funcionamento do hospital.

Será entregue um documento oficial aos devidos responsáveis e autoridades com os relatos acima citados de casos que ocorreram durante todo este período com alunos e professores, e outros, além de um pedido oficial de tomada de providências acerca do funcionamento pleno do hospital. Este foi um breve resumo do que está acontecendo na nossa Unidade Acadêmica de Garanhuns. Precisamos da colaboração de todos! Os absurdos têm crescido, e são inúmeras vezes “abafados”, até mesmo para os próprios estudantes que usufruem – ou deveriam fazê-lo – da estrutura. Espalhem, divulguem e convidem o máximo de pessoas que puderem para participar do manifesto. Lembrem-se de que o total funcionamento do hospital é benéfico para todos! #HVUjá"



MANIFESTO HVU JÁ

DATA/HORA: próxima terça-feira (29/09), às 13h,
LOCAL: em frente à guarita da UFRPE-UAG,
QUEM VAI PARTICIPAR: alunos, professores, técnicos e a própria população 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
RSS Feedrss

 
Powered by Blogger