quinta-feira, 20 de agosto de 2015

SÍTIO ATOLEIRO: Quilombo em Caetés e a 17 Km de Garanhuns recebe Mostra Sonora Brasil

Quatro grupos nacionais, representantes da música de tradição, apresentam-se entre os dias 22 e 25 de agosto

O Quilombo Sítio Atoleiro, que fica a 17 quilômetros de Garanhuns, na cidade de Caetés, recebe entre os dias 22 e 25 de agosto, às 16h, os grupos em circulação nacional do projeto Sonora Brasil, realizado pelo Sesc. Pela primeira vez, o Quilombo recebe um evento deste porte. Além de ampliar o acesso à cultura e formar ouvintes musicais, o Sesc investe na formação da produção local, promovendo um intercâmbio entre os grupos de tradição dos outros estados com o grupo local Coco de Santa Luzia.

Na sua 18° edição, o projeto trabalha o tema “Sonoros Ofícios – Cantos de Trabalhos”, com gêneros vigentes, principalmente, nos estados da região Nordeste. No Quilombo, apresentam-se os grupos Ilumiara (Minas Gerais) no sábado (22), Cantadeiras do Sisal e Aboiadores de Valente (Bahia) no domingo (23), Quebradeiras de Coco do Babaçu (Maranhão) na segunda-feira (24) e Destaladeiras de Fumo de Arapiraca e Mestre Nelson Rosa (Alagoas) encerrando a programação na terça-feira (25).

 O Grupo Ilumiara, formado pelos músicos Alexandre Gloor, Carlinhos Ferreira, Leandro César, Letícia e Marcela Bertelli, abre a programação da Mostra Sonora. No repertório, vissungos, cantigas de ninar e cantos de lavadeiras, em arranjos elaborados a partir de uma visão contemporânea, que aborda a contextualização histórico-social dos cantos do trabalho no país.

Oriundos da Bahia, as Cantadeiras do Sisal e os Aboiadores de Valente se apresentam no domingo (23). O grupo é formado pelas cantadeiras Izabel, Alda, Ivamarcia, Carminha, Marisvalda e Cássia, que trabalham na produção da fibra do sisal, desde o plantio até a fabricação, e hoje são artesãs graças aos projetos desenvolvidos na região. Trazem no repertório cantigas que falam de questões cotidianas, fazendo alusão a esse trabalho. Os Aboiadores de Valente é uma dupla de pai e filho, Ailton Aboiador e Ailton Jr, reconhecida na cidade de Valente, a 240 quilômetros de Salvador, pelo repertório com aboios e toadas.

 Na segunda-feira (24), é o dia de assistir as Quebradeiras de Coco do Babaçu, do Maranhão, formado por oito mulheres que trabalham desde a infância até hoje na quebra do coco babaçu. Cantam cantigas relacionadas à luta política e a valorização do trabalho e direitos das minorias. Criado em 2004, o grupo conta com a participação de representantes do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco do Babaçu e da Associação em Áreas de Assentamento no Estado do Maranhão das seis regiões onde a instituição possui representantes.

 Para encerrar o ciclo do Sonora Brasil em Garanhuns, no dia 25, a mostra leva até o Quilombo Sítio Atoleiro as Destaladeiras de Fumo de Arapiraca e o Mestre Nelson Rosa, de Alagoas. As Destaladeiras trazem no repertório cantigas de barreiro e tapagem de casa, rojões de entoados nas tarefas da roça, além de pagode, música que embalava a comunidade. Integram o grupo Josefa Correia Lima dos Santos, Isabel Cipriano dos Santos, Regineide Rosa dos Santos, Rosália Gomes e Rosinalva Fárias, além de Nelson Rosa.

 Serviço:
Mostra Garanhuns
De 22 a 25 de agosto
Local: Quilombo Sítio Atoleiro, em Caetés
Horário: 16h
Entrada gratuita

 Programação:

22/08 – Grupo Ilumiara (MG)

23/08 – Cantadeiras do Sisal (BA)

24/08 - Quebradeiras de Coco do Babaçu (MA)

25/08 - Destaladeiras de Fumo de Arapiraca e Mestre Nelson Rosa (AL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens ofensivas não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
RSS Feedrss

 
Powered by Blogger